VIA IMPRENSA POLICIAL – A Polícia Civil de Cabreúva investiga o assassinato do ajudante de cozinha Alexandre de Carvalho Américo, de 26 anos. Ele morava no km 88 da rodovia Bispo Dom Gabriel Paulino Bueno Couto e foi morto a tiros em uma cerâmica desativada.



Policiais militares foram acionados para atender a ocorrência depois que vizinhos escutaram os tiros e ligaram para o 190. No entanto, no local do crime – antigas residências de funcionários da cerâmica -, o baleado não foi encontrado, pois já havia sido levado até o hospital local.
Peritos do Instituto de Criminalística (IC) estiveram no local do crime. Eles fizeram levantamentos preliminares para apresentar laudo à Polícia Civil. O documento deve ajudar as investigações a atender a dinâmica do ataque.
Nenhum suspeito foi preso. Já Américo morreu algum tempo depois de dar entrada no pronto-socorro da instituição médica local.
No primeiro semestre deste ano, dois assassinatos foram registrados em Cabreúva pela Polícia Civil. Ambos ocorreram em janeiro, segundo estatísticas da Secretaria de Segurança Pública (SSP) de São Paulo.
Com o crime mais recente, o número deste tipo de morte violenta já supera todos os casos anotados pela polícia nos 12 meses de 2018.




Jundiaí

No último dia 31, o Jardim Santa Gertrudes, em Jundiaí, foi palco de violento crime que vitimou o aposentado Osvaldinho Caetano da Silva, 69. Ele estava em um minimercado na rua Francisco Cabral e reagiu a um assalto praticado por dois homens que invadiram o local armados.
Um deles disparou a arma e atingiu a cabeça do idoso. O projétil ficou alojado no crânio da vítima, que chegou a ser levada até a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Caridade São Vicente de Paulo, onde faleceu após ficar entubado por algum tempo.
Já os criminosos fugiram sem nada levar. Nenhum dos dois foi preso ou identificados pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG), responsável pela apuração do caso.

Reportagem: Geraldo Dias Netto