Um navio com cerca de 4 mil carros novos tombou e pegou fogo na costa do Estado norte-americano da Georgia. O Golden Ray levava modelos da Kia e da Hyundai e tinha como destino final o Oriente Médio. Logo após o acidente, 20 tripulantes, incluindo o capitão, foram resgatados pela Guarda Costeira dos EUA. Outros quatro sul-coreanos que ficaram presos na casa de máquinas foram retirados do navio ontem (10).




Seis sul coreanos, 13 filipinos e o comandante norte-americano foram resgatados logo após o acidente, de acordo com informações do ministro de relações exteriores da Coreia do Sul. O acidente ocorreu próximo à ilha de St. Simons, na Georgia.






As causas do tombamento do navio ainda não foram esclarecidas. A guarda costeira local continua trabalhando para estabilizar a embarcação.

Golden Ray é um dos 60 navios da frota da Hyundai Glovis e tem capacidade para transportar 6.933 veículos. O cargueiro saiu da Coreia do Sul carregado de carros da Kia e Hyundai e tinha como destino final o Oriente Médio.

Antes, porém, deixaria parte da carga nos EUA. Após parar em Brunswick, na Geórgia, para descarregar, o Golden Ray partiu em direção a Baltmore, no Estado de Maryland, para fazer uma nova entrega, mas tombou antes.




Comandante da Guarda Costeira, Norm Witt disse ontem (10) que especialistas em salvamento marítimo estão trabalhando em um plano para remover o Golden Ray do local onde o navio virou. O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, afirmou que o objetivo é reabrir o porto de Brunswick até quinta-feira.

Brunswick é um dos portos mais movimentados dos EUA para o transporte de automóveis. Anualmente, mais de 600 mil veículos e máquinas pesadas são movimentadas em suas docas.

Furacão passou por região

A costa da Georgia foi uma das regiões atingidas pelo furacão Dorian. A tempestade passou pela região ainda como furacão, antes de perder força e ser reclassificada como ciclone extratropical.

Por enquanto, o Golden Ray ainda não liberou nenhum poluente no mar, mas equipes de contenção estão à postos para controlar algum derramamento de óleo. O navio tem bandeira das Ilhas Marshall e seguia para Baltimore, no norte da costa leste dos Estados Unidos.

O incidente com o navio levou ao fechamento do porto de Brunswick, o mais próximo à posição da embarcação. O porto é um dos mais movimentados do país em trânsito de automóveis importados e exportados.