O divórcio é um instrumento que não deve ser tratado como regra dentro de um relacionamento. Ao contrário, o divórcio deve ser a última e extrema consequência de um relacionamento que não, infelizmente, ruiu.

MAIS INFORMAÇÕES, CLIQUE AQUI

Entretanto, o fato é que relacionamentos podem fracassar, não restando outra via, senão o divórcio. Quando isso acontece, o casal precisa ser assistido por um bom advogado, juntos ou individualmente, para que os danos sejam os menores possíveis.

Dentro disso, há um tema que ainda é pouco explorado no momento de divorciar. Estamos falando do divórcio extrajudicial – aquele que pode ser feito em cartório. O direito admite três tipos de divórcio: judicial consensual, judicial litigioso e o extrajudicial.

O divórcio extrajudicial é simples e seus requisitos são: A relação com o cônjuge deve acabar amigavelmente; acontece dentro de um cartório; é necessário não haver filhos menores ou incapazes e será obrigatória a presença de um advogado.

Torcemos pela a felicidade da família, mas se for necessário, procure um bom advogado para esse momento difícil.

MAIS INFORMAÇÕES, CLIQUE AQUI