Uma itupevense, com uma ação que pode até parecer singela, tem chamado a atenção. Adelaide Lemos faz parte do grande número de vítimas do câncer de mama, tipo de doença mais comum em mulheres no mundo.
Sua história já seria digna de nota apenas pelo fato de ter vencido a doença, mas vai além. Após superar o câncer, ela decidiu apoiar pessoas na mesma situação e começou a produzir corações em tecido, que envia às mulheres que estão enfrentando a doença.



Em entrevista concedida à TV Gente Brasil e Sirley Marques, Adelaide contou que ficou “sem chão” quando recebeu o diagnóstico e o apoio da família foi fundamental para que escolhesse encarar a doença e fazer o necessário para encontrar a cura, sendo preciso a retirada das mamas durante o tratamento. Foi então que, enfrentando nova luta, recebeu de uma médica um presente que mudaria sua vida: um coração de pano feito em formato adequado para colocar sob o braço e amenizar a dor.

”Foi muito difícil principalmente quando eu recebi o diagnóstico, o seu chão foge dos seus pés. Graças a Deus minha cirurgia foi um sucesso e minha recuperação também, mas o coração de pano que recebi para amenizar a dor me deu a motivação para retribuir o mesmo gesto que tiveram por mim para outras mulheres que passam pela mesma doença,” contou na entrevista.
Reconhecendo a importância do gesto em sua recuperação, Adelaide decidiu fazer o mesmo por outras mulheres que enfrentam a doença e passou a produzir ela mesma os corações, que envia para todo o país, com mensagens motivadoras. Uma atitude que, sem dúvida, pode fazer a diferença na vida de outras mulheres.




Outubro Rosa

O Ministério da Saúde e o INCA – Instituto Nacional de Câncer lançaram a campanha Outubro Rosa 2019 reforçando três pilares estratégicos no controle da doença: prevenção primária, detecção precoce e mamografia. A campanha foi criada para divulgação não apenas em outubro, mas ao longo do ano inteiro, porque o cuidado com as mamas deve ser uma preocupação permanente. O mote da campanha é “Cada corpo tem uma história. O cuidado com as mamas faz parte dela”.
Segundo o INCA, a estimativa é que, neste ano, 59.700 pessoas sejam vítimas da doença no país, quase 99% mulheres, sendo que o câncer de mama é o segundo tipo que mais afeta o sexo feminino. Em 2017, foram quase 17 mil mortes causadas pela doença no Brasil.




Prevenção

É recomendado que a mulher realize o autoexame e, em caso de qualquer alteração, procure um ginecologista. Os principais sinais e sintomas da doença são: caroço (nódulo), geralmente endurecido, fixo e indolor; pele da mama avermelhada ou parecida com casca de laranja, alterações no bico do peito (mamilo) e saída espontânea de líquido de um dos mamilos. Também podem aparecer pequenos nódulos no pescoço ou na região embaixo dos braços (axilas).
A prática de atividade física e de alimentação saudável, com manutenção do peso corporal adequado, estão associadas a menor risco de desenvolver câncer de mama: cerca de 30% dos casos podem ser evitados quando são adotados esses hábitos. A amamentação também é considerada um fator protetor.
O exame preventivo de mamografia é recomendado a mulheres a partir dos 40 ou 50 anos, dependendo do caso, pelo menos a cada dois anos