Uma professora de 42 anos foi levada ao hospital após beber água supostamente envenenada de sua garrafa durante o intervalo de aulas, em uma escola estadual do Grajaú (zona sul da capital paulista), nesta quinta-feira (13).





Segundo a Polícia Militar, dois alunos de 9 anos, que estudam no 4º ano do ensino fundamental da Escola Estadual Doutor Aniz Badra, confirmaram ter colocado veneno líquido na garrafa da docente sem que ela percebesse. Os estudantes não falaram o que teria motivado o suposto envenenamento.

A diretora do colégio relatou à polícia que a professora começou a se sentir mal após beber a água. Outros professores a levaram para o pronto-socorro Dona Maria Antonieta Ferreira de Barros, onde foi submetida a uma lavagem estomacal e ficou em observação.

A Secretaria Municipal de Saúde, gestão Bruno Covas (PSDB), afirmou que a educadora teve alta no mesmo dia, às 22h50. O caso foi registrado como envenenamento de água potável no 101ºDP (Jardim das Imbuias). Os alunos, por terem menos de 12 anos, não poderão responder pelo caso com base no Estatuto da Criança e do Adolescente.





RESPOSTA

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, gestão João Doria (PSDB), afirmou, por meio de nota, repudiar o possível envenenamento da professora. A pasta acrescentou que os responsáveis pelos dois alunos foram chamados à escola para uma reunião, na qual seriam definidas medidas a serem tomadas.

“O Conselho Tutelar acompanha o caso e um boletim de ocorrência foi registrado. A Diretoria Regional está prestando total apoio à professora”, diz trecho de nota.

A pasta ainda informou que uma equipe ligada à Secretaria de Justiça está na escola para desenvolver “ações com foco na melhoria do clima escolar” e para “dar suporte aos professores e alunos, além de toda comunidade escolar”.